Que empresário não deseja que seus serviços internos tenham mais qualidade, sejam mais eficientes, contem com custos mais baixos e contribuam de maneira determinante para o crescimento e desenvolvimento da empresa? O Centro de Serviços Compartilhados (CSCs) concentram diversas funções de uma empresa em uma unidade com modelo gerencial desenvolvido para promover ganhos organizacionais, redução de custos internos e melhoria nos serviços prestados — uma série de ações que contribuem para a competitividade empresarial.

Apesar de trazer inúmeros benefícios estratégicos para uma empresa, a implantação de um Centro de Serviços Compartilhados é um desafio organizacional, pois depende de uma série de investimentos específicos para a sua estruturação. Além disso, é necessário promover mudanças na filosofia corporativa e incorporar avanços tecnológicos necessários para o seu funcionamento. Tudo isso apoiado em uma série de práticas gerenciais desenvolvidas para garantir o pleno funcionamento do CSCs.

Neste artigo separamos algumas dicas que vão ajudar as empresas na implantação de um CSC. Ficou interessado? É só acompanhar os próximos parágrafos!

Tenha um líder de projeto

O Centro de Serviços Compartilhados impactará a empresa em diferentes níveis — um movimento que, por si só, demonstra a importância do processo para todo o negócio. Por isso, é necessário contar com um líder de projeto para acompanhar a implantação e dar início ao processo de mudança organizacional que será impulsionado pelo CSC. Esse trabalho não depende apenas da contratação de uma consultoria especializada e é importante contar com uma equipe da própria empresa envolvida na transição.

Busque sintonia

Implantar um projeto desse porte depende do apoio da direção da empresa. Sem esse apoio, dificilmente o CSC sairá do papel. Portanto, é fundamental que os envolvidos — sobretudo o líder do projeto — comuniquem à direção e aos colaboradores o que está sendo feito. Disponha informações sobre o plano de implantação, os benefícios, consequências e mudanças organizacionais. Crie uma linha de diálogo aberta e que tire todas as dúvidas que possa aparecer sobre o projeto.

Tenha um plano de implantação

Desenvolver o Centro de Serviços Compartilhados demanda tempo, trabalho, esforço e comprometimento de diversas pessoas — sejam elas colaboradores da empresa ou consultores contratados. Portanto, um projeto desse tamanho depende de um plano de implantação bem elaborado. Para isso, é interessante criar um escritório de projetos, definir metas e objetivos e controlar as entregas e o andamento da implantação. Alinhe toda a equipe em torno desse objetivo de trabalho comum.

Faça testes dos novos processos

A implantação de um CSC envolve a centralização dos processos de diferentes setores de uma empresa. Ou seja, uma mudança de cultura bastante grande e que pode encontrar imprevistos durante a transição. Para que não gere problemas para a organização e para os negócios, é necessário testar em um ambiente controlado os novos modelos de processos para, só então, torná-los regra dentro da companhia. Ao fazer esses testes em um ambiente controlado, é possível corrigir problemas, melhorar os processos e gerar um modelo de trabalho mais eficiente.

Considere a terceirização

Terceirizar um serviço pode ser uma saída interessante para as empresas, pois representam redução de custo e um modelo de trabalho mais eficiente. Avalie se existem outras organizações que podem desenvolver alguns dos seus processos melhor do que você. Se houver viabilidade econômica e técnica, pode ser uma solução eficaz para o seu negócio.